Página 6 - jornalSBCJ16

Versão HTML básica

Boston
Fabio Pacheco Ferreira - São Paulo
Luis Gabriel B. Gugliometti - São Paulo
Guilherme Moreira de Abreu e Silva - Belo Horizonte
Rodrigo Kaz - Rio de Janeiro
Lyon
Marcelo S. Navarro - São Paulo
Gustavo Constantino de Campos - Campinas
Paulo Henrique Araujo - Brasília
Raynerio Costa Marques - Teresina
Os estagiários
Joelho sem fronteiras
6
www.sbcj.org.br
Participantes do Joelho semFronteiras
falamda experiência
C
riado pela Sociedade Brasileira
de Cirurgia do Joelho no ano
passado para proporcionar in-
tercâmbios internacionais para seus
sócios, o Joelho sem Fronteiras já
virou o sonho dos nossos jovens ci-
rurgiões. Os quatro primeiros selecio-
nados que cumpriram o período de
seis semanas de estágio no ano pas-
sado voltaram cheios de ideias, com
novos conhecimentos e experiência
para incorporar em sua rotina.
Os ortopedistas Gustavo Cons-
tantino de Campos e Marcelo Sch-
midt Navarro foram para Lyon, na
França; e Fabio Pacheco Ferreira e
Luiz Gabriel Betono Guglielmetti,
para Boston. Os outros quatro se-
lecionados terão essa experiência
nesse primeiro semestre. São eles:
Guilherme Moreira de Abreu e Silva
e Rodrigo Kaz, para Boston; e Paulo
Henrique Araujo e Raynerio Costa
Marques, para Lyon.
Gustavo Campos e Marcelo Na-
varro
vivenciaram
em Lyon a rotina
de quatro grandes
nomes da ortope-
dia: David Dejour,
Philippe Neyret, Bertrand Sonnery e
Michel Bonnin. “Tive a oportunidade
de acompanhá-los de perto e obser-
vei diversas cirurgias, tanto esporti-
vas quanto degenerativas, e sempre
fui muito bem recebido”, conta Mar-
celo, que viu mais de 100 cirurgias
serem realizadas.
Para Gustavo Campos, a experi-
ência foi muito rica porque acompa-
nhou os profissionais no consultório
e no centro cirúrgico, inclusive parti-
cipando das cirurgias na maioria das
vezes. E para completar, cada umdos
médicos franceses se destaca princi-
palmente emuma área, como próte-
se, lesões esportivas e cirurgias para
a articulação femoropatelar. “Foi uma
ótima oportunidade para observar o
que os grandes nomes de Lyon es-
tão fazendo e também para ver de
perto como funcionam os serviços
públicos e privados na França”, disse,
ressaltando que muito do que viu
irá ser incorporado em sua prática,
assim como compartilhado com os
colegas da área.
Na avaliação de Luiz Gabriel Gu-
glielmetti, a ida a Boston foi uma
chance de conhecer novas técnicas
e mudar a visão sobre determinados
procedimentos. “Conheci aborda-
gens diferentes e tambémmudei um
pouco minha visão a respeito de os-
teotomias da tuberosidade anterior
da tíbia”, revela Luiz Gabriel.
Já Fábio Pacheco destacou a
oportunidade dada pela SCBJ. “Es-
tar junto com os médicos vendo as
cirurgias e os ambulatórios acres-
centou muito para a minha carreira
e espero transmitir o conhecimento
adquirido. É uma porta que a SBCJ
abriu, e que muitos outros colegas
terão essa oportunidade no futuro”,
finaliza.
Para viabilizar o estágio no exte-
rior, a SBCJ concedeu para cada sócio
selecionado uma bolsa de U$ 2.500
mais as passagens para Boston e
de U$ 2.000 mais as passagens para
Lyon.
A programação do estágio foi
organizada pelos médicos responsá-
veis pelo Comitê de Mobilidade In-
ternacional, Marco Demange e Vitor
Barion de Pádua, que fizeram toda
a mediação com a Universidade de
Harvard e a Sociedade Lyonesa de
Cirurgia do Joelho, respectivamente.
Gustavo Campos com David Dejour no centro cirúrgico
Fábio Pacheco no centro
cirúrgico em Boston
Luiz Gabriel Guglielmetti com Dr. Thomas Thornhill
Marcelo Navarro participando de uma cirurgia em Lyon