JOELHO • Número 3 • Setembro de 2014 - page 2

E
stamos caminhando
para o final do man-
dato da atual diretoria
e escrevo esse texto com
certa nostalgia por estar
encerrando, ao final deste
ano, meu ciclo na SBCJ. A
convivência durante sete
anos com os companheiros
da diretoria, a experiência
de participar ativamente
de congressos, jornadas,
cursos e demais eventos da
Sociedade foram muito im-
portantes para conhecer o
potencial de nossos colegas
pelo país inteiro e saber que
estamos evoluindo cada vez
mais na especialidade.
EmMaceió senti como nossa entidade é for-
te e reconhecida e como é grandioso oCongres-
so Brasileiro de Cirurgia do
Joelho, que emsua abertu-
ra contou com a presença
do governador do Estado,
Teotonio Vilela Filho. O
evento envolveu mais de
3 mil pessoas, incluindo
1.700 participantes ins-
critos e todo o pessoal de
apoio, organização e expo-
sitores. A grande adesão
dos colegas “joelhistas” é
uma demonstração clara
da importância da atuali-
zação científica na cirurgia
do joelho.
Quatro meses depois
do Congresso nacional,
reunimos em Curitiba cer-
ca de 450 especialistas, entre palestrantes e ins-
critos, na sexta edição da Jornada Lyonesa no
Brasil. Outra boa notícia é que os grupos e clu-
bes do joelho criados em várias partes do país,
que contam com apoio e incentivo da SBCJ, es-
tão se reunindo com regularidade para discutir
os temas mais importantes da especialidade,
trocar experiências e conhecimento.
Paramarcar o encerramento da nossa gestão
à frente da SBCJ e empossar a nova diretoria,
queremos reunir o maior número possível de
sócios durante o XXVI Congresso Internacional
Trienal da SICOT e o 46
o
Congresso Brasileiro de
Ortopedia e Traumatologia, quando mais uma
vez iremos organizar o Dia da Especialidade. O
evento acontecerá no Rio de Janeiro, de 19 a 22
de novembro, quando faremos um encontro
de confraternização. Será minha despedida e
gostaria muito de celebrar esse momento com
todos vocês!
Abraços!
Hugo Cobra
expediente
JOELHO é uma publicação trimestral da
Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho
(SBCJ), distribuída gratuitamente aos sócios. Os
conceitos emitidos são de responsabilidade dos
autores e não representam necessariamente
a opinião da entidade. Coordenação editorial:
Dr. José F. Nunes. Jornalista responsável: Ilone
Vilas Boas – MTB 24.216. Textos, diagramação
e edição: Ponto da Notícia Assessoria de
Comunicação. Sugestões e comentários:
.
Curta a página da SBCJ no Facebook:
facebook.com/SBCJbrasil
Tiragem: 7.660 exemplares.
diretoria da sbcj:
Dr. Hugo Alexandre de A. Barros Cobra
Presidente da SBCJ
Diretoria
Dr. Marcus Vinicius Malheiros Luzo
Vice-Presidente
Dr. Wagner Guimarães Lemos
1
o
Secretário
Dr. André Kuhn
2
o
Secretário
Dr. José Ricardo Pécora
1
o
Tesoureiro
Dr. Sérgio Marinho de Gusmão Canuto
2
o
Tesoureiro
Dr. José Francisco Nunes
Diretor Científico
Dr. Victor Marques de Oliveira
Vogal
2
palavra do presidente
Encerrando um ciclo
Dr. Hugo Cobra, Presidente da SBCJ
editorial
Caros amigos “joelhistas”,
M
ais umfinal de gestão repleto de boas novas
se aproxima. Nessa gestão 2013/2014
foramcriados em todo território nacional vários
“grupos de estudo do joelho” que, estimulados
pelaDiretoria e apoiados pelas Regionais,
têm tudo para crescereme se desenvolverem,
seguindo a tradição da educação continuada em
nossa SBCJ.
Neste ano, também tivemos o ingresso de 155
novosmembros emnossa Sociedade, que após
se submeterema uma rigorosa avaliação teórica
e prática vieramse somar aosmembros titulares
já existentes, totalizando 1.270 sócios. Isso faz
comque a SBCJ se consolide cada vezmais
como omaior emais forte dos comitês da nossa
sociedademãe, a SBOT.
Tivemos ainda a eleição da nova diretoria
para o período 2015/2016, eleição essa que
como sempre se pautou pela tranquilidade e
escolha democrática de seus candidatos e futuros
dirigentes. Para a seleção
dos componentes desta
nova diretoria, procuramos
manter a unidade e a amizade
como critérios principais na
composição da chapa, não
nos esquecendo também
da capacidade científica,
do profundo conhecimento
damaneira de se
administrar a SBCJ e do bom
relacionamento que todos
devem ter comos colegas
“joelhistas” do país.
Uma chapa comestas
características não provoca
rancores nemdesconfianças nomomento da
votação, e isso ficou comprovado pela ausência
de uma oposição e pela aclamação unânime que
pudemos observar durante o Congresso Brasileiro
emMaceió, local onde a nova diretoria foi eleita.
Muitos, assimcomo nós,
achamque haver oposição é
saudável, mas isso pode também
ser prejudicial a qualquer
sociedade quando surge
somente por razões pessoais,
regionais ou outras razões pouco
recomendáveis. Durante toda
nossa existência, agoramais de
30 anos, nunca tivemos “chapa”
da oposição na SBCJ, pois nunca
tivemos entre nós a que ou a
quemnos opor.
Este relacionamento cordial e
sincero de amizade e confiança,
que sempre existiu entre nós, é
que nosmantém fortes e “maiores” em relação
aos outros comitês.
Vamos continuar assim!
José F. Nunes
Dr. José F. Nunes - Diretor Científico
1 3,4,5,6,7,8
Powered by FlippingBook